ACENTUAÇÃO GRÁFICA
ÍNDICE:

REGRAS BÁSICAS.
ACENTUAÇÃO DAS OXÍTONAS (Sílaba tônica na última sílaba da palavra).
ACENTUAÇÃO DAS PAROXÍTONAS (Sílaba tônica na penúltima sílaba).
ACENTUAÇÃO DAS PROPAROXÍTONAS (Sílaba tônica na antepenúltima sílaba).
REGRAS GENÉRICAS.
VERBOS QUE POSSUEM COMPORTAMENTO PECULIAR QUANTO À ACENTUAÇÃO GRÁFICA.
SOBRE O TREMA.
ACENTO DIFERENCIAL.
OBSERVAÇÕES FINAIS IMPORTANTES.


REGRAS BÁSICAS:

Devem ser acentuados os MONOSSÍLABOS (palavras de uma só sílaba) TÔNICOS terminados em "a", "e", "o", seguidos ou não de s.

Exemplos: pá, pé, nó, pás, pés, nós, etc.


Já os monossílabos tônicos terminados em "i" e "u" não recebem acento gráfico.

Exemplos: pai, vai, boi, mau, pau, etc.


Observação: Os monossílabos tônicos, terminados em "z", assim como todas as outras palavras da língua portuguesa terminadas com essa mesma letra, não são acentuados.

Exemplos: luz, giz, dez... (compare com os seguintes parônimos: nós/noz, pás/paz, vês/vez).


ACENTUAÇÃO DAS OXÍTONAS (Sílaba tônica na última sílaba da palavra).

Acentuam-se as palavras oxítonas terminadas em "a", "e", "o", seguidas ou não de s; e também com as terminações "em" e "ens".

Exemplos: cajá, café, jiló, bebê, robô, armazém, alguém, reféns, etc.


As formas verbais terminadas em "a", "e" e "o", seguidas dos pronomes la(s) ou lo(s) também devem ser acentuadas.

Exemplos: encontrá-lo, recebê-la, dispô-los, amá-lo-ia, vendê-la-ia, etc.


Atenção!

Não se acentuam as oxítonas terminadas em:

1. az, ez, iz, oz, uz.

Exemplos: capaz, tenaz, talvez, altivez, juiz, raiz, feroz, capuz, avestruz, etc.

2. i(s).

Exemplos: Anhembi, Parati, anis, barris; dividi-lo, adquiri-los, etc.

3. u(s).

Exemplos: caju, pitu, zebu, Caxambu, Bauru, Iguaçu, Bangu; compus (do verbo compor), pus(do verbo por), etc.

4. or.

Exemplos: ator, compositor, diretor, detector, condor; impor, compor, etc.

5. im.

Exemplos: ruim, capim, assim, aipim, folhetim, boletim, espadachim, etc.


ACENTUAÇÃO DAS PAROXÍTONAS (Sílaba tônica na penúltima sílaba).

São acentuadas as paroxítonas terminadas em:

_ r / x / n / l (Dica: Lembre-se das consoantes da palavra RouXiNoL).

Exemplos: mártir, fêmur, fácil, útil, elétron, tórax, córtex, etc.

Observação: Entretanto, palavras como "pólen", "hífen", quando no plural (polens, hifens), não recebem o acento gráfico, porque nesta forma elas são regidas pela regra das palavras finalizadas com "em" e "ens". A palavra "hífen" possui ainda um outro plural que, no caso, é acentuado por ser proparoxítono: "hífenes".


_ i / is.

Exemplos: júri, cáqui (cor), lápis, miosótis, íris, tênis, cútis, etc.

Observação: Os prefixos paroxítonos, mesmo terminados em "i" ou "r", não são acentuados. Exemplos: semi, anti, hiper, super, etc.


_ ã / ão (seguidas ou não de S).

Exemplos: ímã (ímãs), órfã (órfãs), órfão (órfãos), bênção (bênçãos) etc.

Observação: O til não é considerado acento gráfico, e sim uma marca de nasalidade.


_ ps.

Exemplos: bíceps, fórceps, etc.


_ us / um / uns.

Exemplos: vírus, bônus, álbum, álbuns, etc.


_ ditongos orais, crescentes ou decrescentes, seguidos ou não de s.

Exemplos: água, mágoa, ódio, jóquei, férteis, fósseis, fôsseis, túneis, úteis, variáveis, área, série, sábio, etc.


ATENÇÃO!

Não são acentuadas as paroxítonas terminadas em "a", "e", "o", seguidas ou não de s; e também as finalizadas com "em" e "ens".

Exemplos: cama, seda, flecha, rede, sede, pote, ovo, coco, bolo, garagem, ferrugem, idem, item, nuvens, imagens, viagens, etc.

E também não se usa mais o acento no "i" e no "u" tônicos quando vierem depois de um ditongo.

Exemplos: baiuca, bocaiuva, cauila (ou cauira: avarento, sovina), feiura, etc.

Observação: se a palavra for oxítona e o i ou o u estiverem em posição final (ou seguidos de s), o acento permanece: tuiuiú, tuiuiús, Piauí.


ACENTUAÇÃO DAS PROPAROXÍTONAS (Sílaba tônica na antepenúltima sílaba)

Todas as palavras proparoxítonas são acentuadas.

Exemplos: lâmpada, côncavo, lêvedo, pássaro, relâmpago, máscara, árabe, gótico, límpido, louvaríamos, devêssemos, pêndulo, fôlego, recôndito, cândido, etc.


REGRAS GENÉRICAS:

Além dessas regras vistas anteriormente, que se baseiam na posição da sílaba tônica e na terminação dos vocábulos, existem outras que levam em conta aspectos específicos da sonoridade das palavras. Algumas destas regras foram igualmente alteradas com o acordo ortográfico implantado em janeiro de 2009.

Assim, continuam sendo acentuadas as palavras com as seguintes características:

A) Quando forem oxítonas e possuírem ditongos abertos como "ei", "eu", "oi", seguidos ou não de s.

Exemplos: anéis, papéis, céu, chapéus, troféus, herói, anzóis, etc.

Observações:

1. Não se usa mais o acento dos ditongos abertos "ei e oi" das palavras paroxítonas.

Exemplos: alcaloide, alcateia, androide, apoia/apoio (verbo apoiar), asteroide, boia, celuloide, claraboia, colmeia, Coreia, debiloide, epopeia, estoico, estreia, estreio (verbo estrear), geleia, heroico, ideia, jiboia, joia, odisseia, paranoia, paranoico, plateia, tramoia, etc.


2. Se os ditongos "ei", "eu" e "oi" apresentarem timbre fechado, também não haverá acento como em: azeite, manteiga, judeu, hebreu, apoio (substantivo), arroio, comboio, etc. Isso só vale para os ditongos "ei", "eu" e "oi", porque só com esses três ditongos pode haver a variação aberto/fechado. O ditongo "au", por exemplo, é sempre aberto (grau, nau, degrau, pau); por isso nunca será necessário diferenciá-lo de nada, ou seja, não será necessário acentuá-lo.


3. Atente-se que esses ditongos abertos igualmente não serão acentuados quando estiverem em palavras no diminutivo e/ou no plural.

Exemplos: pasteiZInhos, chapeuZInho/chapeuzinho, anzoiZInhos, etc.


4. Quando a segunda vogal do hiato for "i" ou "u" tônicos, acompanhados ou não de s, haverá acento: saída, proíbo, faísca, caíste, saúva, viúva, balaústre, país, baú, Gravataí, Grajaú, juízes, raízes, etc.

Essa regra aplica-se também às formas verbais seguidas de lo(s) ou la(s): possuí-lo, distribuí-lo, substituí-lo, atraí-la, construí-los, etc.


5. Quando a vogal "i" ou a vogal "u" forem acompanhadas de outra letra que não seja s, não haverá acento: paul, Raul, cairmos, contribuinte, etc.


6. Se o "i" for seguido de "nh", não haverá acento como em: rainha, moinho, tainha, campainha, etc.


7. As formas verbais "possui", "sai", "cai", por exemplo, podem ou não aparecer acentuadas. Se forem a terceira pessoa do singular do presente do indicativo dos verbos possuir, sair, cair, elas não levarão acento: Ele/Ela possui, sai, cai. Se, no entanto, forem a primeira pessoa do singular do pretérito perfeito, as formas serão acentuadas: Eu possuí, saí, caí.


8. Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas (tu) arguis, (ele) argui, (eles) arguem, do presente do indicativo dos verbos arguir e redarguir.


9. Há uma variação na pronúncia dos verbos terminados em "guar, quar e quir", como aguar, averiguar, apaziguar, desaguar, enxaguar, obliquar, delinquir, etc. Esses verbos admitem duas pronúncias em algumas formas do presente do indicativo, do presente do subjuntivo e também do imperativo. Observe:

A) Se forem pronunciadas com "a" ou "i" tônicos, essas formas devem ser acentuadas. (Pronúncia mais corrente no Brasil)

Exemplos:

Verbo enxaguar: enxáguo, enxáguas, enxágua, enxáguam; enxágue, enxágues, enxáguem.

Verbo delinquir: delínquo, delínques, delínque, delínquem; delínqua, delínquas, delínquam.


b) se forem pronunciadas com "u" tônico, essas formas deixam de ser acentuadas.

Exemplos:

Verbo enxaguar: enxaguo, enxaguas, enxagua, enxaguam; enxague, enxagues, enxaguem.

Verbo delinquir: delinquo, delinques, delinque, delinquem; delinqua, delinquas, delinquam.


VERBOS QUE POSSUEM COMPORTAMENTO PECULIAR QUANTO À ACENTUAÇÃO GRÁFICA
(Alguns alterados pelo Acordo Ortográfico de 2009)

Os verbos "crer", "ler" e "ver", na terceira pessoa do singular do presente do indicativo (e o verbo "dar" no presente do subjuntivo), são monossílabos tônicos acentuados, tendo na terceira pessoa do plural o "e" dobrado; entretanto, não recebendo mais o acento no primeiro "e" como antes do novo Acordo.

Exemplos:

Ela crê em Deus fervorosamente / Elas creem em Deus fervorosamente

Carlos lê jornal diariamente / Carlos e seu pai leem jornal diariamente

Léo vê televisão o dia todo / Léo e seus irmãos veem televisão o dia todo

Todos esperam que Bruno dê o melhor de si no próximo jogo /
Todos esperam que os jogadores deem o melhor de si no próximo jogo

Observação: O aspecto do "e" dobrado e do primeiro "e" não ser mais acentuado na terceira pessoa do plural dos verbos mencionados acima também ocorre em seus compostos como "descrer", "reler", "prever", "rever", etc.

Exemplos:

Eles descreem na vida em outros planetas.

Os escritores releem várias vezes seus livros antes de publicá-los.

Os meteorologistas preveem um verão muito quente para o próximo ano.

À noite, muitas pessoas reveem suas ações durante o dia.


Atenção:

Os verbos "vir" e "ter", na terceira pessoa do singular do presente do indicativo, não são acentuados; entretanto, na terceira do plural recebem o acento circunflexo.

Exemplos:

João vem de Brasília amanhã.
Os deputados vêm de Brasília amanhã.

Ela tem um bom coração.
Os jovens têm a vida em suas mãos.

Observação: Atente-se, no entanto, para os compostos desses verbos que recebem um acento agudo na terceira pessoa do singular, mas continuam com o acento circunflexo na terceira do plural.

Exemplos:

O Banco Central, normalmente, intervém em bancos com dificuldades financeiras.

Os EUA intervêm, a todo momento, em assuntos que só dizem respeito a outros países.


Xuxa entretém as crianças sempre com muito carinho.

Os palhaços entretêm a plateia que se diverte a valer.


Ele mantém a promessa de estudar bastante.

Eles mantêm a promessa de estudar bastante.


Aquela proposta convém aos nossos interesses.

Aquelas propostas convêm aos nossos interesses.


No momento, Pedro detém o poder.

No momento, Antônio e Dirceu detêm o poder.


_ Assim como foi eliminado o acento circunflexo que se usava sobre a primeira vogal do hiato "ee" na terceira pessoa do plural dos verbos crer, ler,ver e seus compostos, por exemplo (vide lição 05), foi igualmente abolido o acento circunflexo da primeira vogal do hiato "oo".

Dessa forma, não são mais acentuados vocábulos como:abençoo, abotoo, coo, destoo, doo, enjoo, entoo, magoo, moo, perdoo, povoo, soo, voo, zoo.



_ Agora é facultativo o uso do acento circunflexo para diferenciar as palavras forma / fôrma.

Em alguns casos, o uso do acento deixa a frase mais clara. Veja este exemplo: "Qual é a forma da fôrma do bolo?"


SOBRE O TREMA.

Não se emprega mais o trema, sinal colocado sobre a letra u (ü) para indicar que ela devia ser pronunciada nos grupos "gue, gui, que, qui".

Exemplos: aguentar, arguir, bilíngue, cinquenta, cinquentenário, delinquente, delinquência, eloquente, eloquência, ensanguentado, equestre, equino, frequente, frequência, lingueta, linguiça, quinquênio, sagui, sanguíneo, sequência, sequestro, tranquilo, tranquilidade, etc.

Atenção: o trema permanece apenas nas palavras estrangeiras e em suas derivadas. Exemplos: Müller, mülleriano; Hübner, hübneriano.


ACENTO DIFERENCIAL.

Apesar deste tipo de acento ter sido abolido pela lei 5.765, de 1971, existem ainda alguns casos remanescentes, em que o novo Acordo Ortográfico o manteve expressa e obrigatoriamente.

Trata-se das formas do verbo PODER, onde na terceira pessoa do singular do presente do indicativo não recebe acento gráfico: "Ele pode estudar sozinho"; entretanto , na terceira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo, é acentuada: "Ela não pôde sair ontem à noite".

O novo Acordo não elimina também o acento diferencial da forma verbal "pôr", que a diferencia da preposição "por": "Preciso pôr em dia estas anotações feitas por mim".

No entanto, algumas palavras paroxítonas que recebiam acento diferencial de tonicidade, para se distinguirem de seus pares homógrafos, e que haviam sido preservadas pela Reforma de 1971, de acordo com as novas normas, deixam de ser acentuadas.

Exemplos:

- para (forma do verbo parar, também presente em algumas palavras compostas: para-brisa, para-quedas, para-raios, para-lama)

- para (preposição)


- pela, pelas (formas do verbo pelar, ou substantivo = bola de brinquedo)

- pela, pelas (contrações de preposição e artigo)


- pelo, pelos (substantivo)

- pelo (forma do verbo pelar)

- pelo, pelos (contrações de preposição e artigo)


- pera, peras (substantivo = fruta)

- pera, peras (substantivo antigo = pedra)

- pera, peras (preposição arcaica)


- pero, Pero (substantivos = maçã doce e oblonga, e denominação dada pelos índios aos portugueses = Pedro, nos primeiros anos da colonização)

- pero (conjunção arcaica = porém, mas, ainda que)


- pola (substantivo = ramo novo de árvore)

- pola (substantivo = surra)

- pola (contração arcaica de preposição e artigo)


- polo (substantivo = falcão ou gavião)

- polo (substantivo = extremidade do eixo da Terra)

- polo (contração arcaica de preposição e artigo)


- coas, coa (formas do presente do indicativo do verbo coar)

- coa, coas (preposição com + artigo a e as, respectivamente; essas formas são comuns em poesia)


OBSERVAÇÕES FINAIS IMPORTANTES:


Quando de seu lançamento, a 5ª edição do Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP), elaborado pela Academia Brasileira de Letras, pretendia fazer um registro, o mais completo possível, não só dos vocábulos de uso comum como também da terminologia científica e técnica.

Nesse sentido, tornou-se necessário realizar novos procedimentos, como algumas correções de revisão e alguns acréscimos ao texto original.

Algumas destas correções realizadas referem-se à acentuação gráfica, e são as seguintes:

1. O acento gráfico foi eliminado quando marcava o timbre aberto dos ditongos "ei" e "oi" dos vocábulos paroxítonos, como em assembleia (éi), heroico (ói), desde que não incluído em outra regra geral de acentuação.

Dessa forma, palavras como destróier, Méier, blêizer, gêiser, mantêm o acento gráfico por serem paroxítonas terminadas em r.


2. E mesmo possuindo o hiato de duas vogais iguais (oo), como em voo, enjoo, a palavra "herôon" (que significa santuário ou monumento funerário erguido em homenagem a um herói) leva acento gráfico por ser paroxítona terminada em n.


3. Deve-se incluir também, na regra geral de acentuação, os paroxítonos terminados em "om", como "iândom" (verso ou poema composto com um tipo específico de versificação - iambos; modalidade de poesia satírica, própria da literatura francesa, em que se alternam versos alexandrinos e octossílabos); e "rádom" (tendo a variante rádon, também conhecido como radônio, é o nome de um elemento químico de símbolo Rn, de número atômico 85 e massa atômica igual à 222. É um dos gases nobres. É radioativo, incolor, inodoro, e insípido. Tem sido usado como fonte de radiação para tratamento de câncer, com algumas vantagens sobre o rádio.


4. E emprega-se igualmente acento no hiato "ui", quando a vogal tônica é o "i", como em arguí (primeira pessoa do singular do pretérito perfeito do indicativo do verbo arguir).


VOLTAR À PÁGINA ANTERIOR

VOLTAR À PÁGINA PRINCIPAL